Suporte à Vida

SUPORTE À VIDA

O Suporte à Vida é todo um sistema de protocolos de atendimento no qual se estabelecem o reconhecimento e a realização das Manobras de Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) com o objetivo de manter a vítima de parada cardiorrespiratória (PCR) viva até a chegada de uma unidade de transporte avançada.

O desfibrilador é o aparelho usado para, no caso de uma parada cardiorrespiratória, restabelecer o ritmo cardíaco do paciente. Esse aparelho tem o objetivo de emitir uma carga elétrica moderada no coração que está sofrendo algum tipo de arritmia.   

Tem modelos manuais e os automáticos: o modelo manual costuma ser encontrado nas unidades de tratamento intensivo, salas de cirurgia e outros locais-chave do ambiente hospitalar. Por isso, ele é voltado para manuseio exclusivo de profissionais. Assim, um médico ou enfermeiro treinado será o responsável por definir a carga elétrica que será aplicada no paciente. Como a sua função está atrelada às ocorrências cardíacas, ele é acomodado junto aos carrinhos de emergência.  

Já os DEAs – Desfibriladores Automáticos Externos - têm função de servir como instrumento geral de primeiros socorros, podendo ser manipulados por leigos. Portanto, na ausência de um médico para verificar o ritmo cardíaco do paciente, o próprio equipamento será capaz de fazer a medição. Portanto, a carga adequada a ser descarregada para restabelecer a normalidade cardíaca é definida de modo automatizado e simples.